O Ministério Público nos TTs do twitter


A luta do Ministério Público contra a PEC 37, que retira seu poder de investigação, chegou nesta tarde aos Trending Topics do twitter(link do print screen).

Mais de 17 mil tweets originais - além de vários retweets - fizeram o MP chegar ao 7º posto da lista dos assuntos mais falados do dia, segundo o site Hashtags.org (link). (A estatística está no fuso horário de Nova Iorque, duas horas atrás do horário de Brasília.)
A passeata virtual marcada para hoje, entre 15h e 17h, criou um movimento durante toda a tarde, que atraiu principalmente promotores, procuradores e operadores do Direito mas também teve a participação de parlamentares e muitos cidadãos.
O deputado federal Alessandro Molon (PT/RJ) postou uma foto em que afirma que vota contra a PEC 37 (link para a foto). Heloísa Helena, agora vereadora pelo PSOL/AL, também engrossou o movimento (link para o tweet).
A agitação pela internet também ajudou a fazer crescer o abaixo-assinado do Ministério Público contra a PEC 37: agora já são quase 200 mil assinaturas: www.change.org/pec37
O abaixo-assinado será entregue por promotores e procuradores ao Congresso Nacional depois de amanhã, na quarta-feira, dia 24 de abril, no Primeiro Simpósio Brasileiro contra a Impunidade.

Tuitaço contra a impunidade: participe! #naopec37

www.change.org/PEC37

Você acha que o Brasil precisa de menos investigações? Tem político que acha. E ele estão tentando aprovar a Proposta de Emenda à Constituição 37/2011, também conhecida como PEC da Impunidade.

Ela propõe a retirada do poder de investigação do Ministério Público. Na prática, significa que praticamente deixam de existir investigações contra corrupção, crime organizado, desvio de verbas, abusos e violações de direitos humanos.

Se você também acha isso um absurdo, não deixe passar. Junte-se a nós no movimento #NAOPEC37.

Na segunda-feira, dia 22, entre 15h e 17h, tuíte uma frase com a hashtag #NÃOPEC37.

O objetivo é chegar aos Trending Topics to twitter e mostrar aos políticos e à imprensa, por meio dessa passeata virtual, que o Brasil não aceita essa tentativa de algemar o Ministério Público.

Confirme sua participação no link:  http://bit.ly/tuitaconaopec37

Vamos usar o poder da internet para unir nossas forças. Dezenas de milhares de pessoas já mostraram sua opinião no abaixo-assinado www.change.org/pec37. A gente se vê no tuitaço!

**

TUITAÇO #NAOPEC37

2ª feira, 22/04: 15h às 17h

Exemplos de frases para tuitar:

Assine contra a impunidade #nãoPEC37! Ministério Público pede ajuda www.change.org/pec37

Todos tuitando contra a impunidade. Tuitaço #nãoPEC37! Vamos divulgar www.change.org/pec37

Tuitaço contra impunidade HOJE 15-17h @nãoPEC37 Assine a petição www.change.org/pec37 #nãoPEC37

Impunidade não! MP com poder de investigação! #nãoPEC37 Assine:www.change.org/pec37

Querem algemar o Ministério Público, não vamos deixar! #nãoPEC37 www.change.org/pec37

Entenda os riscos da PEC 37 http://migre.me/e3HEL, depois assine www.change.org/pec37 #nãoPEC37

A menina que dobrou os vereadores. Vitória na Change.org!

Charline Carelli tem 22 anos de idade, estuda arquitetura e mora em Balneário Camboriú. Ela soube pela mídia local que um vereador de sua cidade tinha um projeto de lei que pretendia proibir bicicletas, skates e patinetes em via pública. Em vez de só reclamar, ela decidiu agir.

“Eu uso bicicleta como meio de transporte e também sou estudante de arquitetura e urbanismo. Senti os meus direitos afetados e também sei que isso vai contra a tendência mundial. Além disso, pesquisei bastante as leis, como a Constituição e o Código de Trânsito. Percebi que o projeto não é correto”, explica a estudante.

Charline resolveu participar das audiências públicas, mobilizar colegas e utilizar o poder da internet a favor da liberdade das bicicletas. Na primeira audiência pública, o autor do projeto, vereador Nilson Probst, tentou dizer às pessoas presentes que eles não entendiam direito o conteúdo.

Mas foi ali também que vários ativistas envolvidos com a causa das bicicletas se encontraram e resolveram manter contato pela internet. Charline Carelli teve ainda outra ideia: criar um abaixo-assinado online na Change.org. “O abaixo-assinado mostra que isso não é apenas uma opinião minha ou de um pequeno grupo de Balneário Camboriú. Tem gente do Brasil inteiro dando apoio”, constata.

O apoio recebido e a cobertura da imprensa local fizeram com que o vereador percebesse que seu projeto ia contra o Plano Nacional de Mobilidade Urbana e as tendências internacionais em transporte de pessoas. O vereador Nilson Probst acabou convencido de que o projeto realmente continha vários pontos problemáticos e apresentou um substitutivo.

Foi utilizando a força da mobilização de quem quer mudança com o poder da internet que, aos 22 anos, Charline Carelli conseguiu a liberdade das bicicletas em Balneário Camboriú. Saiba mais sobre a história dela lendo o documento: (link).

Contato: imprensa@change.org

Guetta Gate: Quando o povo cancelou um show milionário

Sabe aquela revolta que dá quando um governante resolve contratar um músico famoso para fazer show na cidade a peso de ouro, pago com dinheiro público? Em Marseille, na França, em vez de ficar só reclamando, a população resolveu agir.

David Guetta seria contratado pela prefeitura para tocar pela bagatela de 400 mil euros. A Europa não está numa fase de jogar dinheiro fora e os cidadãos resolveram tomar a dianteira e exigir que os governantes façam bom uso do dinheiro público.

Um grupo começou um abaixo-assinado na Change.org francesa:

https://www.change.org/fr/p%C3%A9titions/jcgaudin-non-%C3%A0-la-subvention-de-400-000-euros-pour-le-concert-de-david-guetta-%C3%A0-marseille-mp2013

Eles até gostam de David Guetta e queriam ir ao show, mas acharam um absurdo pagar uma quantia dessas ao músico quando a cidade precisa de muitas outras coisas.

A imprensa da França não deixou barato. Foi incansável na cobrança por explicações sobre um pagamento tão alto a um músico utilizando dinheiro público. Foram mais de 100 reportagens nos principais órgãos de imprensa franceses.

O grupo que iniciou o abaixo-assinado continuava com ações de protesto que viravam manchetes na mídia: foram entregar as 70 mil assinaturas na prefeitura e organizaram ações nas redes sociais, como tuitaços e facebook bombs.

O que era uma questão de gasto do dinheiro público em uma única cidade, Marseille, virou uma discussão nacional sobre a prestação de contas na França. 75% das pessoas que assinaram online pedindo que David Guetta não fizesse o show nem vivem em Marseille, mas ficaram indignadas com a atitude do prefeito.

A pressão foi tanta que David Guetta resolveu cancelar sua apresentação, o que também foi notícia em toda a imprensa francesa.

http://www.20minutes.fr/article/1118463/ynews1118463?xtor=RSS-176

http://www.laprovence.com/article/actualites/2258026/marseille-face-a-la-polemique-guetta-abandonne-le-parc-borely.html/

http://www.franceinfo.fr/arts-spectacles/devant-la-polemique-david-guetta-deplace-son-concert-prevu-a-marseille-919999-2013-03-14

http://www.ouest-france.fr/actu/disques_detail_-Concert-a-Marseille.-David-Guetta-renonce-a-sa-subvention_3724-2173535_actu.Htm

http://www.huffingtonpost.fr/2013/03/14/david-guetta-marseille-concert-polemique_n_2875675.html?utm_hp_ref=fb&src=sp&comm_ref=false

http://next.liberation.fr/musique/2013/03/14/david-guetta-renonce-a-son-concert-subventionne-a-marseille_888610

http://www.lexpress.fr/culture/musique/concert-de-david-guetta-a-marseille-deplace_1231836.html

http://www.francetv.fr/culturebox/marseille-david-guetta-deplace-son-show-et-renonce-a-la-subvention-133533

Como diz a apresentadora neste vídeo (link), “às vezes a mobilização dos cidadãos pode mudar o curso das coisas”.

imprensa@change.org

ONG Rio de Paz pede libertação de missionários brasileiros

www.change.org/libertejosedilson

ONG Rio de Paz decide inicia movimento popular pedindo a libertação de dois missionários brasileiros presos no Senegal.

José Dílson trabalha há 21 anos como missionário. Ele e a família, esposa e 3 filhos, abriram mão da vida de classe média em Niterói para atuar em favor dos mais pobres. São 13 anos de trabalho em Guiné Bissau e mais 8 no Senegal, participando de ações como:

- Construção em 1991 da Escola JOCUM em Guiné Bissau, com 700 alunos inscritos atualmente e que já beneficiou milhares de crianças.

- Construção de centros nutricionais com apoio de entidades internacionais para distribuir diariamente alimentação para mais de 300 grávidas e crianças com desnutrição nos arredores de Gabu, Guiné Bissau.

- Construção de 4 escolinhas de futebol em Dakar e no interior do Senegal, nas quais participam atualmente 120 meninos.

- Criou a Escola ABC no Senegal, que tem 200 alunos inscritos, da pré-escola ao 4º ano, com estudo em período integral e alimentação gratuita

- Fundou o Projeto Obadias, que tem um orfanato-escola para meninos que viviam nas ruas do Senegal.

O missionário é membro e dirigente da ONG ABC (Aide Internationale Aux Enfants) e da APMTS (Associação Presbiteriana de Missões Transculturais no Senegal). Durante sua atuação, jamais teve qualquer tipo de problema com a polícia ou com a Justiça em nenhum dos países nos quais atuou.

José Dilson e Zeneide, seu braço direito no trabalho missionário, foram presos depois que o pai de um dos garotos atendidos pelo último projeto que desenvolveram ter denunciado às autoridades senegalesas que seu filho havia se tornado cristão. Isso foi em novembro do ano passado. Desde então, os dois estão em uma prisão com condições precárias.

O missionário é diabético, não tem tido os cuidados de saúde dos quais necessita e corre o risco de morrer. Uma missão do governo brasileiro composta por 3 senadores chegou a ir a Dakar no ano passado mas meses se passaram e a situação continua a mesma.

Antonio Carlos Costa, presidente da ONG Rio de Paz, conheceu o missionário em Niterói, por meio de amigos em comum, e decidiu iniciar um movimento popular pedindo uma atitude efetiva do governo brasileiro: “Ouvimos manifestações oficiais, por exemplo, para defender um traficante brasileiro preso na Indonésia, o que eu considero legítimo. Mas esse caso tem o agravante de serem pessoas inocentes, missionários em uma missão humanitária. É muito importante que o governo brasileiro se sensibilize para a importância de uma ação rápida e efetiva.”

O ativista embarca na próxima semana para Dakar, onde vai se encontrar com a família de José Dílson e pretende tentar visitar o missionário na prisão. Também tem intenção de iniciar contatos tanto com o governo brasileiro quanto com o governo do Senegal.

“Temos usuários em 196 países e há vários casos importantes de prisões internacionais injustas que foram resolvidos depois que as pessoas começaram a usar a Internet para se mobilizar e chamar a atenção das autoridades. Esperamos que este seja mais um deles. Acreditamos que o governo brasileiro vai se senbilizar pela causa.”, diz a Diretora de Campanhas da Change.org no Brasil, Graziela Tanaka.

O caso tem sensibilizado os internautas. Antes mesmo de qualquer divulgação, mais de 10 mil pessoas apoiaram o abaixo-assinado. Milhares compartilham os links para obter mais apoio. A intenção é que o governo brasileiro tenha uma ação efetiva ou pelo menos faça um pronunciamento público sobre o caso.

 imprensa@change.org

Alimentos fresquinhos direto do asfalto de São Paulo


www.change.org/hortaSP

image

Imagine uma horta comunitária no coração de São Paulo, bem no meio da avenida Paulista. Pois é, ela existe. Aliás, são duas: a Horta do Ciclista e a Horta Vegana. Também tem outras, como a Horta das Corujas, na Vila Madalena, e a Horta da Vila Pompeia.

Surpresa maior que saber da existência das hortas urbanas em plena capital paulista é saber como elas são cuidadas: de maneira coletiva, pelas pessoas que moram e trabalham ao redor de cada uma delas. Mesmo com a correria paulistana, as ideias boas têm espaço no dia-a-dia.

Todos são livres para plantar e colher. As hortas, que requerem cuidados diários, seguem firmes e fortes graças aos voluntários. Quem mora ou trabalha ao redor pode levar para casa legumes e verduras fresquinhos.

O grupo de paulistanos que vive esta realidade ainda é pequeno, mas o Coletivo de Agricultores Urbanos de São Paulo quer um apoio da prefeitura para que mais paulistanos possam ter uma horta pertinho de casa.

O prefeito Fernando Haddad tem até 31 de março para apresentar o plano de metas e a intenção é que as hortas comunitárias estejam nele. Ela podem ser feitas em locais públicos, como as que já existem e também em escolas, parques e na Unidades Básicas de Saúde (UBS).

“A presença de uma horta tem só pontos positivos”, argumenta a jornalista e agricultora urbana Claudia Visoni. “As hortas aumentam a ligação da comunidade com o espaço público, o tornam querido, frequentado, desestimulando o mau uso. Temos ainda a ampliação de áreas verdes e na possibilidade de ter um lazer sem custo e saudável. Isso sem falar na possibilidade de educação ambiental e nutricional para as crianças, que passam a ter um relacionamento muito diferente com os alimentos.”

O grupo pretende que o prefeito Fernando Haddad inclua no plano de metas pelo menos uma horta em cada bairro. As assinaturas coletadas pela Internet serão entregues à prefeitura num evento promovido pelo Coletivo de Agricultores Urbanos de São Paulo.

“Nós incentivamos as discussões sobre a qualidade de vida urbana e, sem dúvida nenhuma, é muito interessante ter um abaixo-assinado que propõe a expansão de algo que surpreende num momento mas já tem sucesso: hortas comunitárias em São Paulo”, diz a Diretora de Campanhas da Change no Brasil, Graziela Tanaka.

imprensa@change.org

 

Protestos contra o fim do Google Reader monopolizam internet

Depois que o Google anunciou o fim do serviço em 1º de julho, milhares de pessoas resolveram ir à Internet protestar. A revolta dos usuários é tão grande que nesta manhã o abaixo-assinado Keep Google Reader Running conseguiu mais de 55 mil assinaturas em uma manhã e respondeu sozinho por 24% do tráfego total de usuários da plataforma Change.org. Em alguns momentos, havia mais de 1500 pessoas assinando ao mesmo tempo.

É o abaixo-assinado mais visto nas últimas 24 horas na Change.org, que possui mais de 30 milhões de usuários em 196 países: foram 159 mil pageviews individuais. A maioria dos usuários chegou até o protesto contra o fim do Google Reader pelo Reddit (mais de 20 mil visitas), seguidos pelo Facebook (6000) e Disqus (3700).

E não é o único abaixo-assinado de protesto. Neste link, há diversos outros que foram criados nas últimas 24 horas pedindo que o Google não acabe com o Google Reader. A empresa ainda não se pronunciou a respeito dos protestos dos usuários.

Para acompanhar online o número de assinaturas:
http://www.change.org/petitions/google-keep-google-reader-running

COBERTURA INTERNACIONAL SOBRE O CASO:
Reuters: http://www.reuters.com/article/2013/03/14/net-us-google-reader-idUSBRE92D09G20130314
Wall Street Journal: http://blogs.wsj.com/digits/2013/03/13/google-kills-reader-hits-a-nerve/?mod=
CNET: news.cnet.com/8301-1023_3-57574226-93/petitions-beg-google-to-reconsider-closure-of-reader/
SF Chronicle: http://www.sfgate.com/technology/businessinsider/article/Thousands-Of-Users-Beg-Google-Not-To-Shut-Down-4354415.php
Chicago Tribune: http://www.chicagotribune.com/business/technology/chi-google-to-shut-down-reader-web-feed-application-20130314,0,2597695.story
FastCompany: http://www.fastcompany.com/3006994/most-innovative-companies-2013/google-petitioned-fans-google-reader-reconsider-shutdown
And another FastCompany: http://www.fastcodesign.com/1672127/google-kills-google-reader-hitler-reacts
Business Insider: http://www.businessinsider.com/petition-to-save-google-reader-2013-3
Newsday: http://newyork.newsday.com/business/technology/google-reader-closing-sparks-protests-1.4812752
VentureBeat: http://venturebeat.com/2013/03/14/change-org-peition-google-reader/
Mashable: http://mashable.com/2013/03/13/save-google-reader/
TechCrunch: http://techcrunch.com/2013/03/14/the-death-of-google-reader-sparks-a-petition-30000-signatures-strong/
Houston Chronicle: http://blog.chron.com/techblog/2013/03/r-i-p-reader-google-giveth-and-google-taketh-away/
ComputerWorld: http://www.computerworld.com/s/article/9237592/Google_Reader_several_other_services_axed
Guardian: http://www.guardian.co.uk/technology/2013/mar/14/google-reader-rss-retired
Telegraph: http://www.telegraph.co.uk/technology/google/9929265/Google-Reader-RSS-aggregator-retired.html
Repubblica.it: http://www.repubblica.it/tecnologia/2013/03/14/news/google_reader_chiude-54530490/?ref=HREC2-6
Huffington Post: http://www.repubblica.it/tecnologia/2013/03/14/news/google_reader_chiude-54530490/?ref=HRERO-1
EL Pais: http://tecnologia.elpais.com/tecnologia/2013/03/14/actualidad/1363246566_361446.html
La informacion:
 http://noticias.lainformacion.com/arte-cultura-y-espectaculos/internet/miles-de-usuarios-protestan-por-el-cierre-de-google-reader-en-change-org_WLFAN8OjU8dCydRE14yoG7/
Europa Press:
 http://www.europapress.es/portaltic/internet/noticia-google-ya-recibido-mas-38000-firmas-no-cerrar-google-reader-20130314141851.html


A Change.org é a maior plataforma mundial de abaixo-assinados online e incentiva as pessoas em todos os lugares a criagem a mudança que elas querem ver no mundo. Nossos mais de 30 milhões de usuários em 196 países utilizam o poder da internet para conquistar as transformações que desejam: locais, nacionais e globais.

imprensa@change.org